Discovery I

O novo modelo da Land Rover, lançado em 1.989, baseado no chassis do Range Rover teve seu projeto (sob o nome "JAY") iniciado em 1.986.

Apesar de ter o mesmo chassis e diversos componentes do Range Rover da época, o Discovery inaugurou o novo motor Tdi (Turbo Direct Injection) que, depois, equiparia toda a linha de veículos da fábrica.

Este motor revolucionou os 4x4 Land Rover, permitindo um desempenho excelente em asfalto e também no fora de estrada.

A primeira geração do motor Tdi (200 Tdi, o número significava o torque máximo do motor nas unidades Inglesas) tinha, na versão Discovery, 111 CV de potência.

A caixa de câmbio que equipava a Discovery era o modelo LT77, que tinha como característica a marcha à ré ao lado da primeira.

Quando foi lançada a segunda geração dos motores Tdi (300 Tdi, sem que o número tivesse ligação com o torque máximo do motor), diversas modificações foram feitas, visando a melhorar o nível de emissão de poluentes e o consumo de óleo do cárter, diminuindo também o tempo para diversos serviços de manutenção, tornando-o o motor mais versátil que a Land Rover já produziu até hoje.

Atualmente a Land Rover não fabrica mais o motor 300 Tdi, sendo a MAXION (sucedida pela MWM INTERNATIONAL) a empresa responsável por suprir estes motores e peças para o mercado mundial. Como este motor atende somente à especificação de emissões EURO II ele não pode mais ser produzido para o mercado interno brasileiro.

Com a adoção do 300 Tdi, a Discovery (e toda a linha) também ganhou uma nova caixa de câmbio (R380 com marcha à ré sincronizada, posicionada abaixo da quinta marcha), nova grade e faróis e lanternas nos parachoques traseiros, novo painel, novo ar condicionado, entre diversos outros itens, melhorando em muito o conforto.

Este modelo, chamado de New Discovery na época, foi lançado em 1.995 (chegando ao Brasil logo em seguida) e foi produzido até 1.999, quando foi lançada a nova versão, chamada de Discovery Série II, numa nítida alusão aos 'Série II" apelidados pelo público. Aliás, a Land Rover não foi a única a usar um apelido dado pelo público para nomear seu carro, quem não se lembra do "Fusca" que virou nome do modelo fabricado pela VW?

Desde seu lançamento e até os modelos mais atuais, a Discovery também foi fabricada com opção para motores a gasolina V8, com bloco e cabeçote em alumínio, em versões automática e manual, e também com o motor 2 litros Mpi (nunca importado pela Land Rover do Brasil) de 4 cilindros a gasolina, conhecido pelo seu fraco desempenho.

Atualmente, a versão Série II traz como opção o motor a gasolina V8 (4 litros) e também um novo motor a diesel (Td5) com 5 cilindros, 2.500 cm3 e aproximadamente 135 HP de potência, que leva o novo modelo a declarados 158 km/h de velocidade máxima (versão manual).

No Brasil também agora podemos ter como opção a versão diesel automática que, apesar de estar sempre presente em outros países, era indiponível no mercado nacional.


 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!